lozango_roxo_edited.png
lozango_roxo_edited.png
lozango_dourado_edited.png

Cuidados com a alimentação do Pet no final do ano.

O ano de 2021 foi repleto de desafios, não só para os tutores, como também para os pets, que tiveram de reaprender a rotina com a família dentro e fora de casa. Porém, o ano ainda não acabou e o último desafio é passar pelas festas de fim de ano com muita alegria e segurança!


É normal que os tutores queiram compartilhar momentos de comemoração com a família, amigos e também com os pets. Mas para isso, é necessário tomar alguns cuidados, já que nem todos os alimentos que são consumidos nessa época são seguros para a saúde do seu animal.

Abaixo, citaremos alguns alimentos que são comuns na ceia de natal e réveillon, mas que podem causar problemas para saúde do seu animal de estimação.

Uvas

Ainda não se sabe exatamente o mecanismo de ação e a quantidade necessária para causar efeitos tóxicos, mas é comum cães e gatos sofrerem falência renal aguda após consumirem uvas, tanto comum quanto passa. Por este motivo, evite oferecer esse petisco para o seu animal durante a ceia, e opte por outras frutas como maçã, melão e laranja.

Comidas temperadas com cebola e alho

O alho, a cebola e também a cebolinha fazem parte das Alioídeas, uma família de vegetais amplamente usadas para ressaltar o sabor dos alimentos. Apesar de muito saborosos, esses alimentos possuem tiossulfato, uma substância que pode causar diversas patologias em cães e gatos. O principal efeito do tiossulfato em cães e gatos é a hemólise, ou seja, destruição dos glóbulos vermelhos, podendo causar uma anemia hemolítica. Além disso, com o uso prolongado, o tiossulfato pode causar também inflamação do intestino, por isso é melhor manter esses alimentos longe do seu pet.


Laticínios

Apesar de parecer algo natural, o trato gastrointestinal dos animais só está preparado para receber laticínios durante a primeira infância, enquanto ainda estão sendo amamentados. Na fase adulta, cães, gatos e outros mamíferos não possuem mais a capacidade de digerir lactose, e isso pode causar uma grave diarreia. Além disso, muitos laticínios que consumimos são altamente processados, tornando-se ainda mais perigosos para o intestino dos pets.

Doces

Assim como para os humanos, o açúcar na dieta do pet pode causar diversos problemas, como hiperglicemia e aumento de peso. O chocolate, mais especificamente, possui uma substância chamada teobromina, que pode causar uma severa inflamação no estômago, intestino e fígado, gerando um quadro de intoxicação. Além disso, os cães possuem menos da metade de papilas gustativas do que os humanos, e por isso praticamente não sentem o gosto doce, tornando-se desnecessário em sua dieta.


Ossos de galinha e peru

A carne de frango e de peru não é necessariamente tóxica para os pets. Todavia, deve-se tomar extremo cuidado com os ossos desses alimentos. Muitos cães, principalmente aqueles de porte pequeno, não conseguem engolir os ossos por completo e acabam engasgando com esse alimento. Em outros casos, ao mastigar o osso, as pontas do alimento podem gerar cortes tanto na cavidade oral quanto no estômago e intestino do pet. Em ambos os casos, é uma emergência muitas vezes cirúrgica que pode levar a óbito, por este motivo esse alimento não é indicado para cães e gatos.


Sendo assim, o ideal é manter a alimentação do seu pet restrita a rações específicas e petiscos recomendados pelo seu médico veterinário. Siga essas e outras dicas para um fim de ano feliz e seguro ao lado do seu melhor amigo!


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo